Aguarde...

Benvindos U. F. de Bensafrim e Barão de São João

Turismo

BENSAFRIM

Sob o ponto vista arqueológico, Bensafrim dispõe de vários elementos dignos de destaque, nomeadamente a necrópole da Fonte Velha, ou Salmões da Mina, como também é conhecida, e onde foram encontradas incinerações romanas de onde se tiraram fragmentos de cerâmica, pregos, armas e alguns bronzes do século I a.C.. O espólio da necrópole pré-romana incluía também vasos cerâmicos, um anel de cobre, argolas de bronze, fusilhões de fíbulas, pontas de lanças em ferro, uma argola de ouro, contas de vidro colorido e lages funerárias com caracteres ibéricos, semelhantes a outras encontradas no Sul do país.

 

A ocupação arábica além de ter deixado bastantes vestígios arqueológicos manifesta-se também na toponímia. O topónimo principal assumiu, ao longo dos tempos, várias grafias, uma das quais Benassaharim que, segundo Frei João de Sousa, significa “feiticeiros”, estando relacionada com o verbo “Sahara” com o sentido de “encantar”. Apesar de existirem outras interpretações quanto à significação do topónimo, o certo é que relativamente à sua origem há consenso entre os principais autores: trata-se de um topónimo de origem árabe. De acordo com estudos mais recentes, a palavra desdobra-se em Ben Sab´r In = Ben Sab(i)r In(scribir), ou seja “Bem Saber Inscrever”, referindo-se à existência de uma oficina de lapidaria da época proto-histórica, onde se esculpiam os “herouns” ou seja, as “estrelas monumentais funerárias” e que possivelmente fornecia toda a região do actual barlavento algarvio. Da presença muçulmana destacam-se também as noras e poços e, de maior significado, os silos escavados na rocha.

 

Do património histórico desta povoação, para além dos vestígios arqueológicos já mencionados, destacam-se a Igreja Matriz, bem como vários moinhos de vento. Como locais de interesse turístico, referência para a barragem da Bravura e respectiva albufeira, para a zona de caça associativa, bem como para a típica paisagem local. Elemento característico é a presença da rocha de grés vermelho que existe ainda na fundação de algumas casas.

 

BARÃO DE SÃO JOÃO

IGREJA DE SÃO JOÃO BAPTISTA

Trata-se de um templo seiscentista reconstruído em 1951. No altar-mor está colocada a imagem de São João Baptista (padroeiro da freguesia) possuindo mais quatro altares com as imagens de Nosso Senhor Jesus Cristo na cruz, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora da Conceição e Santo António (porém se a Igreja se encontrar fechada, pode-se-á obter informações nas imediações de como visitá-la).

 

MATA NACIONAL DE BARÃO DE SÃO JOÃO

Inserida no Património Natural de Lagos, a Mata constitui-se como um local ideal para quem deseja um contacto directo com a natureza.

A Mata Nacional de Barão de São João teve grande importância na época dos Descobrimentos, visto fornecer matéria-prima para a construção naval.

 

Actualmente pode-se encontrar na Mata Nacional de Barão de São João, percursos pedestres, um parque de merendas e um circuito de manutenção.

No que se refere aos percursos pedestres, são seis os percursos existentes e alguns podem ser percorridos em BTT.

Entre pinheiros, acácias, eucaliptos, medronheiros e sobreiros, encontrará também imensos animais que compõem a importante reserva de fauna cinegética aí existente.

Na zona da Pedra Branca existe um Menir do Paleolítico, denominado Pedra do Galo.

 

O Parque de Merendas é um espaço situado perto da Casa do Guarda, equipado com mesas e bancos em madeira, possuindo também grelhadores, onde só poderá ser utilizado carvão devido a perigo de incêndio.

 

Neste local poderá deliciar-se com um piquenique ou apenas descansar após uma caminhada, por sua vez as crianças encontram  neste local um Parque Infantil para as seus divertimentos.

Ao utilizar o Parque deverá ter em conta algumas situações: preservar os equipamentos; depositar o lixo nos contentores; não fazer fogueiras fora dos grelhadores; respeitar a natureza (fauna e flora); evitar barulhos excessivos e vigiar as crianças.

 

O Circuito de Manutenção situa-se junto do Parque de Merendas, constitui-se como um equipamento desportivo público que permite a prática de exercícios físicos.

Apresenta 14 estações colocadas de 100 em 100 metros, com obstáculos pré-construídos.

 

É chegada a altura de sugerir um traçado turístico, assim, quando se chega à cidade de Lagos (rotunda do Estádio Municipal), segue-se no sentido de Bensafrim. À saída das Portelas, toma-se à esquerda a EM 531-1 sentido Barão de São João, que vai passar pelo sítio do Monte Judeu.

 

Seguindo em direcção a Sagres e depois de entrar em Barão de São João, toma-se a esquerda. Junto a um Jardim com um Chafariz (a população vinha a este local buscar água quando não era canalizada, e hoje ainda é utilizada) segue-se para a direita em direcção à Mata Nacional. Pode-se aproveitar este percurso para observar o Património Cultural de Barão de São João, nomeadamente algumas habitações térreas com telhados de uma ou duas águas, chaminés bastante típicas, exemplares característicos não só da freguesia, mas também do Barlavento Algarvio.

À entrada da Mata Nacional, à esquerda encontrar-se-à o Centro Cultural de Barão de São João, onde são normalmente realizadas as Festas, Exposições, Reuniões, entre outros eventos. Neste local encontra-se instalada a Ludoteca Municipal, o Pólo de Leitura da Biblioteca Municipal Dr. Júlio Dantas- Lagos, o Parque Infantil, e um Pólo Museológico, acessível por marcação, na Junta de Freguesia ou no Pólo de Leitura.

 

Seguindo para o interior da Mata ,o caminhante encontrará 6 percursos pedestres sinalizados, que são definidos em circuito, permitindo-lhe regressar ao ponto de partida. Por outro lado, pode-se seguir pela Mata e tomar o sentido Parque de Merendas, junto à Casa do Guarda, fazer uns exercícios físicos no Circuito de Manutenção, e no final saborear um piquenique enquanto as crianças brincam no Parque Infantil existente no local.

 

Após um breve descanso retomar-se-à o passeio visitando o interessante património edificado:

 

Poder-se-à também utilizar outros acessos além do proposto, que se passam a enunciar: chegando às Portelas segue-se em direcção a Bensafrim, e percorridos cerca de 5 Km, vira-se à esquerda em direcção a Barão de São João tomando a EM 535. Poder-se-à também chegar a Lagos e tomando o sentido Luz/ Sagres pela EN 125, virar no cruzamento para Espiche, e seguir o sentido Barão de São João.

 

 

E, como última alternativa, seguir em direcção a Sagres pela EN 125, e virar à direita no cruzamento para Barão de São Miguel, chegando a esta aldeia serão percorridos cerca de 4 Km até chegar a Barão de São João.

 

GASTRONOMIA

Na saborosa cozinha Algarvia destacam-se alguns pratos típicos: a Galinha de Cabidela (galinha caseira, sangue de galinha e batatas); o Grão ou Feijão com Arroz, com Carne e enchidos de Porco; as Papas Moiras com Carnes e Enchidos de Porco; os Carapaus Alimados e o Peixe Frito Albardado (peixe frito, no dia seguinte era passado por ovo e por farinha), este prato era muito utilizado pelos agricultores, ou quando a população se deslocava a algum lugar. De seguida passamos a descrever alguns desses pratos típicos.

 

Relativamente à tradição vinícola, as pessoas produzem vinho essencialmente para consumo próprio. O tipo de vinho produzido é o tinto maduro, caracterizado pelo teor médio de 12ºC, por possuir uma cor rubi e uma consistência aveludada no paladar.

 

Entre a variedade de doçaria tradicional algarvia destacam-se especialidades como: os Bolos de doce fino (ovos, amêndoa e açúcar), que reproduzem miniaturas de frutos, animais, plantas, etc.; os Dom Rodrigo ( ovos, amêndoas e açúcar), terá sido no concelho de Lagos que apareceram os primeiros Dom Rodrigo; os Morgados (ovos, amêndoa e açúcar); o Queijo de Figo e Estrelas (figo e amêndoa), muito apreciado na altura dos Santos( 1º de Novembro) e também no 1º de Maio, quando era tradição ir à Mata “enrolhar”, ou seja a população levava o farnel do qual o Queijo de Maio também fazia parte e divertia-se partilhando o que cada um levava. O Queijo de Figo e Estrelas era acompanhado com aguardente de medronho produzida na freguesia, visto existirem na Mata Nacional bastantes medronheiros;o Bolo de Família (massa de pão, banha, azeite, ovos, canela e açúcar) era feito no dia da cozedura semanal do pão, porque assim aproveitavam a massa de pão para fazê-lo. Passamos a descrever algumas dessas especialidades.

 

ARTESANATO

No que diz respeito ao artesanato destacam-se: a cestaria em verga, palma e esparto; as miniaturas em madeira que representam alfaias e carros agrícolas; a trapologia, retalhos cortados com a forma pretendida, passados a ferro e cosidos à máquina, por vezes é também utilizada a lã; confecção de tapetes, almofadas, colchas, etc ; olaria e cerâmica, em que o material utilizado é o barro, que depois de cozido é pintado; bambu e madeira também são materiais utilizados para o fabrico de objectos, como por exemplo, molduras, brinquedos, entre outros.

 

Os Artesãos vendem o artesanato na sua residência, ou em Feiras locais ou regionais.

 

No que respeita aos brinquedos tradicionais destacam-se: os carros agrícolas feitos em madeira, com animais (burros ou vacas) feitos em cortiça; bolas feitas com restos de trapos e revestidas com meias; espingardas feitas com canas.

 

Este tipo de brinquedos era normalmente feito por pessoas que trabalhavam no campo, de modo que, no Inverno quando chovia, ocupavam o tempo a fazê-los para os seus filhos ou netos.

 

 

Estes brinquedos foram utilizados pelas crianças de Barão de São João até meados da década de 70 (século XX). Porém, actualmente, alguns avós ainda os fazem para os seus netos, relembrando assim os tempos em que se divertiam com este tipo de brinquedos.

 

Vídeo do Centro de BTT em Barão de São João



Este site utiliza cookies. Ao utlizar o website, confirma que aceita a nossa politica de privacidade.